Cidades são tão diversas quanto as camadas que as compõem. Uma alquimia põe-se em curso produzindo por vezes padrões conflitantes , ainda que osmóticos, de habitação, experiência sensível e união social. Além disso, resultantes de muitos sonhos de arquitetura, estruturas de poder em progresso e desvios locais contingentes, as cidades são simultaneamente estruturas concretas e territórios efêmeros. Nelas, vivemos e morremos, nos encontramos & nos despedimos, mantendo unidos a ficção diária que une os interstícios do panorama mais amplo dos fenômenos urbanos.

Com formação em Dança, Antropologia e Ciências Políticas, Fernanda Eugénio e Gustavo Ciríaco colaboram entre si e nos projetos um do outro desde 2009, com um caminho intensivo de trabalhos e pesquisas em torno do espaço público.

Em 2015, a dupla iniciou o projeto Cidades de Vapor em Nova York e Saigon durante seus workshops de práticas site-specific, City Labs. Neste projeto de longo prazo, Fernanda Eugenio e Gustavo Ciríaco propõem o transporte de operações sensíveis de uma cidade para outra, construindo, através do convite para navegar em um ambiente sensorial, um espaço-tempo imaginário cruzado e imaginário pelo qual os vapores da cidade podem se propagar. Em dezembro de 2019, o projeto estreou em Lisboa nos âmbito da ocupação-exposição AND Lisboa na Rua das Gaivotas 6. Os vapores da cidade foram trazidos de sua residência in situ em Saigon / HMC, Vietnã, como parte da edição local do City Lab / Práticas Site-Specific, na  Sán Art Gallery.

Em 2020, Steaming Cities viaja para as Filipinas para uma residência artística e apresentação pública no Bellas Artes Projects, em Bataan.

Trajetória

Bellas Artes Projects. Bataan, Filipinas. Maio 2020.

Rua das Gaivotas 06. Lisboa, Portugal. Dezembro 2019.

 

Residências

Hemispheric Institute for Performance and Politics – New York University (NYU), NYC. Abril 1-30, 2015.

Sán Art Gallery Lab, Saigon. Janeiro 2015.

 

Fotos Alípio Padilha