LAWAL

Fitzroya cupressoides.
felicidad cúspide.
soledad eterna.

Em um passeio pelo Parque Alerce Andino, lar dos pinheiros milenares da Patagônia Chilena, uma mulher depara-se com a sua finitude e a temporalidade diante da eternidade dos elementos naturais. Unidos pelo que escorre, imprime e não tem nome, espaço vira tempo e o dia torna-se a saga de uma vertigem. A iluminar nessa viagem temporal por distintas dimensões de uma experiência, o efêmero, o fugaz, a densidade de uma aventura.

LAWAL, o cipreste alerce na língua indígena mapuche, dá nome a este passeio-instalação pela propriedade rural do Pico do Refúgio. Nele, retomamos a experiência de uma coreógrafa chilena na paisagem relançada em território açoriano, uma obra concebido em colaboração entre o coreógrafo Gustavo Ciríaco e o arquiteto Gonçalo Lopes em diálogo com a artista Javiera Péon-Veiga.

Inaugurada na 10ª edição do Walk&Talk – Festival de Artes,  LAWAL é a primeira peça a estreada da coleção Cobertos pelo Céu, um projeto que une as artes performativas e as visuais na relação entre arte e paisagem, entre discurso poético e experiência de mundo. Com vistas à criação de uma coleção de instalações e performances concebidas pelo coreógrafo Gustavo Ciríaco, o projeto acontece em colaboração e diálogo com artistas de Portugal, Alemanha, Brasil, Argentina, Reino Unido e Chile, nas áreas da música, dança, escultura, pintura e performance.

A partir de experiências marcantes de paisagens vividas por artistas visuais e das artes cénicas, o projeto lança-se na sua tradução em instalações de natureza arquitetônica, sonora, visual, escultural ou performativa. A cada artista convidado entrevistado, uma experiência de paisagem é recolhida e, posteriormente, concretizada.

 Veja também mais imagens aqui.

Imprensa

Walk&Talk 10, São Miguel

“LAWAL / Cobertos pelo Céu”, de Gustavo Círiaco, que ele descreve como “passeio-instalação”, aconteceu na propriedade do Pico de Refúgio, sítio que data do século XVII e já serviu de fortaleza militar, plantação de laranjeiras, fábrica de chá e e atualmente espaço de residência artística. Concebida em colaboração com o arquitecto Gonçalo Lopes e a coreógrafa Javiera Peon-Veiga, a obra consistiu num percurso por caminhos cortados nas colinas ondulantes do terreno e pontuados por painéis com texto e esculturas in situ; uma experiência que fez lembrar a poética dos caminhos de Land Art de Richard Long e Robert Smithson, ao mesmo tempo em que reconsiderava o que “coreografia” poderia significar em uma experiência relacional com o mundo natural.

Revista WhiteHot, de Brian Wallace. Nova York, julho de 2021

A excursão idealizada pelo artista e coreógrafo Gustavo Ciríaco nos levou a um território modificado por suas histórias e visões, uma obra de land art de grande apelo poético e paisagístico.

Exibart, de Lorenza Pignatti. Milão, Julho 2021
Observador, de Bruno Horta. Lisboa, Agosto 2021.

Coffeepaste – entrevista

Entrevista feita por Pedro Mendes. Lisboa, Outubro 2021.

Walk&Talk 10 — Para um «lugar (em) comum» algures nesta ilha

Em colaboração com Javiera Peón-Veiga e Gonçalo Lopes, Gustavo Ciríaco rasgou um caminho naquela propriedade rural, convidando-nos a trilhá-lo — assim mesmo, cobertos pelo céu — num passeio com cerca de 45 minutos.

Umbigo Magazine. Lisboa, Agosto 2021.

QUANDO & ONDE

Walk & Talk Arts Festival, Ponta Delgada, Ilha de São Miguel, Portugal. Julho 16-25, 2021.

CONCEÇÃO E DIREÇÃO ARTÍSTICA Gustavo Ciríaco (Br)
COREÓGRAFA CONVIDADA Javiera Peón-Veiga (Cl)
PROJETO ARQUITETÔNICO, CENOGRAFIA E COLABORAÇÃO ARTÍSTICA Gonçalo Lopes (Pt)
TEXTO ORIGINAL EM ESPANHOL Javiera Peón-Veiga
DESIGN GRÁFICO Paula Delecave
TRADUÇÃO E REVISÃO DO TEXTO (PORTUGUÊS) Gustavo Ciríaco
TRADUÇÃO E EDIÇÃO DO TEXTO (INGLÊS) Daisy Hilliard
CONSULTOR LOCAL Luís Bernardo Brito e Abreu
ASSISTÊNCIA DE PRODUÇÃO E MONTAGEM Filipa Fonseca e Tomás Martinez
APOIO TÉCNICO  Sr. Manuel
DIREÇÃO TÉCNICA Santiago Tricot
DESENHOS Gonçalo Lopes
ADMINISTRAÇÃO Missanga Antunes
DIREÇÃO DE PRODUÇÃO Sinara Suzin
CO-PRODUÇÃO Fundição Progresso (Rio de Janeiro/Br) & NAVE (Santiago/Cl)
REALIZAÇÃO Efémera Colecção – Associação Cultural e Walk & Talk – Arts Festival
APOIO INSTITUCIONAL THIRD – Dance and Theatre Academy – Amsterdam University of the Arts
APOIO A RESIDÊNCIA Pico do refúgio (Rabo de Peixe/Pt) e Arquipélago – Centro de Artes Contemporâneas
APOIO República Portuguesa – Cultura | DgARTES – Direção-Geral das Artes

Cobertos pelo Céu conta com o Apoio à Co-produção de Espetáculo 2020-2021 IBERESCENA

Fotos António Pedro Lopes, Gustavo Ciríaco, Mariana Lopes e Sara Pinheiro